Sobre sacolinhas plásticas e cyberativismo

Imagem feita a partir de plástico achado na Ilha de Lixo do Pacífico

Imagem feita a partir de plástico achado na Ilha de Lixo do Pacífico. © Chris Jordan

Se você assistiu a última semana de Caminho das Índias, é possível que tenha visto também um comercial da Plastivida defendendo o indefensável: sacolas plásticas. Não, eu não assisto novela. lol. A informação veio de Lúcia Freitas, no Faça sua Parte, em um post sobre o assunto. Leia, é muito bom e eu não vou me repetir falando sobre o quanto as sacolas plásticas são ruins. Isso você pode ver aqui, aqui e aqui. Eu fiquei sabendo da história por outro caminho, o Portal da Propaganda, via Twitter. E, na verdade, este post é sobre o que podemos fazer bem embaixo dos narizes das superpoderosas corporações multimi(bi)lhionárias.

Só para situar, a campanha da Plastivida fala que o plástico é legal e bom pra todo mundo e ninguém viveria na Terra sem ele (ok, isso eles não falam, mas subentende-se). Confira dois trechos da entrevista e vá para o post da Lúcia para contraposições a isso:

o plástico é hoje indispensável na vida dos seres humanos, como uma rápida olhada à nossa volta pode constatar, porém, tem sido muitas vezes apontado como vilão por danos ao meio ambiente. O motivo está atrelado à falta de conhecimento – de educação, pode-se dizer – das comunidades em relação ao descarte correto de objetos feitos com esse material, como as sacolas plásticas, mas não só, afinal, apenas 7% dos 5.564 municípios brasileiros têm coleta seletiva de lixo atualmente.

As mensagens salientam que com uso responsável, a embalagem de plástico oferece não apenas conveniência, mas também ajuda na preservação do meio ambiente.

Mesma imagem, aproximada. ©Chris Jordan

Mesma imagem, aproximada. ©Chris Jordan

Meu assunto aqui é o que podemos fazer a respeito. Para apoiar essa campanha, foi criado um site (o Recicle suas idéias – tá, que tal a Plastivida reciclar as dela?) com um programinha que puxa hashtags diretamente do twitter (não sabe? Google nele!). O que eles usaram é o #reciclesuasideias. O problema é que não dá pra controlar quais tweets vão parar no site. E adivinha o que aconteceu? Eu e mais algumas pessoas começamos a tuitar críticas à campanha. O resultado foi parar diretamente no site deles (e a foto ao lado comprova o fato).

Recicle Suas idéias 2

Clique para aumentar

Mas não foi só isso. Analisando as estatísticas do Quintal, descobri que o post mais lido na última semana foi, adivinhem, sobre Sacolas Plásticas. Joguei no Google e o segundo resultado (atrás somente do site “oficial”) é este post escrito pela Renata mais de dois anos atrás. Conversando com a Cláudia Chow, do Ecodesenvolvimento, o mesmo fenômeno vem acontecendo no blog dela. Ou seja, muita gente que quer saber mais sobre a campanha acaba caindo por aqui, ou em outros sites, que dão uma perspectiva mais realista sobre o tema.

É um jeito novo e, me parece, muito interessante de protestar contra tudo o que querem nos enfiar goela abaixo na mídia de massa. É aquilo que aconteceu com a Xuxa e o Twitter: quem estava acostumado a ser só emissor passa a ser receptor de mensagem. E esperneia por não ser mais dono da bola.

Recicle suas idéias

Clique para aumentar

Fica a pérola da Xuxa: “fui vcs não merecem falar comigo nem com meu anjo”. Mas nós vamos continuar falando. Aproveite e siga-nos no twitter: @quintal.

Comments
One Response to “Sobre sacolinhas plásticas e cyberativismo”
Trackbacks
Check out what others are saying...
  1. […] No Blog Nosso Quintal é possível encontrar testemunho e dicas de como lidar com as tais sacolinhas. Vale espiar, por aqui* […]



Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: