Biocombustível – O combustível das (bio)massas

MrFusionQuem não se lembra da cena clássica em De Volta Para o Futuro 2, quando o Professor Emmet Brown estaciona o DeLorean na garagem de Michael J. Fox e coloca umas bananas e um pouco de cerveja num improvável reator que transforma lixo em energia? Pois é, a verdade é que o Mr. Fusion, o nome do tal reator, existe. Só não é pequenino como no filme. Nessa matéria, você vai entender melhor o que são Biocombustíveis em suas mais variadas formas: etanol, biodiesel, biogás.

Biocombustível é o combustível que vem de matéria biológica. Pode ser cana-de-açucar ou milho (no caso do etanol), pode ser mamona ou soja (biodiesel), pode até ser o resultado da fermentação do lixo ou o pum da vaca (biogás). As possibilidade são muitas, mas basicamente todo biocombustível provém da biomassa. Biomassa? É a energia que todo ser vivente (ou morrente, no caso de já ter passado para a próxima etapa do ciclo de carbono) possui dentro de si. E, de certa maneira, tudo provém do Sol, mas não vamos entrar nisso pra não confundir mais ainda. Basicamente as plantas e algas acumulam energia com a fotossíntese e essa energia pode ser aproveitada nos mais diferentes pontos da cadeia alimentar, produzindo biocombustíveis. Essa energia é a biomassa.

Entre as vantagens dos Biocombustíveis sobre os combustíveis fósseis estão o fato de serem fontes renováveis, menos poluentes e biodegradáveis. Além disso, sua queima é carbono neutra: o que é lançado na atmosfera é a mesma quantidade que foi seqüestrada pela planta no seu crescimento. Se falarmos de fontes vegetais isso ocorre diretamente. No caso de fontes animais, como o combustível do estrume da vaca, o carbono havia sido seqüestrado pela planta que a vaca comeu. Nesse caso, dá até pra dizer que ela foi carbono negativa, já que o estrume jogaria o carbono na atmosfera de qualquer maneira e, dessa forma, pode ser utilizado para a produção de combustível.

O primeiro tipo de biocombustível é o etanol. Muito conhecido pelos brasileiros, o álcool etílico é utilizado desde os anos 70 como combustível no país. Ele também é a vedete do momento, que leva nosso presidente a viajar pra cima e pra baixo vendendo o Brasil como um grande gerador de energia renovável. A produção de Etanol é feita através da fermentação de plantas, que podem ser várias: cana-de-açúcar (mais utilizada aqui), milho (a campeã nos EUA), beterraba (França). Destes, o processo mais eficiente é o de cana-de-açucar, que joga em torno de 90% menos poluentes na atmosfera do que a gasolina. Esse valor varia de planta para planta. No caso do milho, é algo perto de 14% menos. Além disso, sua queima produz água e gás carbônico (e não monóxido de carbono, como nos combustíveis fósseis). Existe muita polêmica a respeito do etanol, seja pelo fato de que sua produção aumenta a pressão sobre os preços de alimentos, seja porque a produção de algumas modalidades, como o milho, utiliza muitos agrotóxicos, além de estudos mostrarem que mais energia é gasta na sua produção do que ele gera quando queimado (baixa eficiência energética). Existe também o etanol celulósico, que utiliza a celulose como base, e portanto, pode ser extraído de qualquer planta. Mas essa é ainda uma promessa para o futuro que discutiremos mais a fundo depois.

Biodiesel é a produção de combustível pela reação química entre óleos ou gorduras (animais ou vegetais) com um álcool. Para fazer biodiesel é necessário que a planta seja oleosa, por isso a escolha da mamona, soja, canola e afins. A vantagem do biodiesel é que ele pode ser produzido artesanalmente, a partir do óleo vegetal já usado. Além disso, não é necessário fazer qualquer modificação no motor à diesel fóssil para alimentá-lo (sem duplo sentido) de biodiesel. Só que, como o etanol, sua produção já começa a afetar preços e sua utilização é muito pequena: no Brasil passa a ser obrigatória a mistura de 2% de biodiesel no diesel normal a partir do ano que vem.

Já o Biogás é pouco conhecido, mas nada mais é do que a mistura dos gases metano e carbônico proveniente da fermentação anaeróbica (sem a presença de ar) de matéria orgânica, além de outros gases em menor quantidade. A receita é simples: pega-se a matéria orgânica, coloca-se no biodigestor, adiciona-se um pouco de água para dar liga e depois é só esperar (e coletar). Vale estrume de vaca, porcos, lixo orgânico doméstico ou mesmo animais e plantas mortas. Dá pra usar até o esgoto doméstico. O biogás pode ser utilizado da mesma maneira que o gás de cozinha ou o GNV. É muito útil, e até mesmo difundido, em fazendas e regiões rurais. Ele é especialmente interessante na redução do lixo e seu aproveitamento energético. Em São Paulo, dá pra visitar um biodigestor na CETESB. Embora eu não tenha encontrado o link para lá, eu mesmo já fui checar o local.

Entre todas as opções (que não se resumem a essas, embora sejam as mais importantes), o biogás, menos aproveitado, é o mais parecido com o Mr. Fusion. E, para ser sincero, seria algo que eu gostaria de ver mais. Afinal, daria um fim a dois problemas de um jeito só.

[tweetmeme source=”quintal” only_single=false]

Comments
16 Responses to “Biocombustível – O combustível das (bio)massas”
  1. giovani says:

    chatos

  2. Larissa says:

    Uma coisa de prejuisos muitos grande e de lucros grande também !!!

  3. Júlia says:

    Achei muiiiito interessante,fala sobre o que as pessoas precisam saber,se informar sobre o que acontece…

    Não conhecia esse site,mas ADOREI !!!

  4. ADALBERTO NETO says:

    ACHEI MUITO LEGAL VOU TIRAR UM 10 É MUITO BOM SABER QUE O BIO COMBUSTIVEL LANÇA 90%MENOS GAS POLUENTES

  5. ALINE SAMURA says:

    O SITE PODERIA ABRANGER MAIS SOBRE O BIO COMBUSTIVEL.

  6. larissa says:

    nuss que papo chato… falar de bio combustivel, naum tem assunto melhor pra falar… só entrei nesse site pq minha prima vai faze trabalho escolar… nuss… tbm só escola msm pra faze agente se auto destruir lendo esse assuntos chatos!!!!!!

  7. larissa says:

    muuuuuiiiiitoooooooo chato esse assunto Deus me livre aff que que esse povo tem na cabeça hem????? nuss naum tem mais coisa pra faze naum!!!

  8. tamiris says:

    Adorei o texto, muuuito criativo ao colocar o exemplo do filme de volta para o futuro II… assistir e confirmo a existencia de tal reator!

  9. vitoria says:

    eu achei q tinha q esplicar + sobre o bio combustiveis ii eu to fazendo um trabalho sobre isso so q eu naum vo pega esse texto pq esta incompleto… eu acho na minha opiniao…. mais tah mais omeno0s entao eu do um 6 pra vc tah… kkkkkk

  10. albenice says:

    adorei o assunto vou tirar 10

  11. b says:

    muito boa explcação viu xaxau bjussssssss

  12. junior says:

    nossa gente esse tipo de assunto me ajudou mtu

  13. Juzinei de Araújo says:

    Um ótimo site para esclarecer dúvidas sobre este assunto tão importante da nossa atualidade, nos aprsentando maneiras menos impactantes ao meio em que vivemos. nota 10.

  14. , eu sinceramente não gostei so site ;*
    não me ajudou em nada ‘

Trackbacks
Check out what others are saying...
  1. […] em alternativas aos automóveis (movidos a combustão interna, híbridos, elétricos, Mr. Fusion ou antimatéria, são todos transportes individuais), e essa grana fatalmente vem da sociedade como […]



Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: